Ai ai estou doente, não queria admitir isso, mas estou. Então antes que meu pulmão exploda de tanto eu tossir vou escrever esse post bem especial.

Para ler ouvindo:

  • Since i’ve been loving you – Led Zeppelin
  • Baby i’m gonna leave you – Led Zeppelin
  • My sweet prince – Placebo
  • Glory box – Portishead
  • Superstar – Sonic Youth
  • Smile like you mean it – The Killers
  • On top – The Killers
  • Somebody told – The Killers
  • Dig – Incubus
  • Summertime – Janis Joplin

Ok sei que a lista de músicas é grande e provavelmente até você terminar de ler a primeira provavelmente nem vai ter acabado; mas são músicas especiais que me fazem lembrar de uma das épocas mais gostosas da minha vida, o ensino médio. Esse post quem me sugeriu foi uma pessoa muito querida na minha vida e que esteve presente nessa fase da vida e continua nela, mesmo que a algumas centenas de quilômetros.

A música summertime não fez parte da minha vida nessa época, pois ainda não apreciava Janis Joplin, mas ela me faz ser muito nostalgica. Eu estava na aula de geometria descritiva ouvindo essa música (o professor tinha dado uma folga) e nossa ela me fez sentir saudade de tudo, dos meus amigos, da minha família (incluindo a cã), da minha cidade… E esse climinha de chuva que Curitiba sempre tem me faz lembrar mais ainda de tempos bons.

Porque foi em clima de chuva que conheci meus amigos, que fiquei com meu primeiro namorado, que assistia filminho a tarde, que me equilibrava nos meios fios do setor leste para não pisar no barro, que ficava no Boloco conversando besteira com os amigos,depois de comprar bobagens para almoçar no big box, que tomávamos nossos gummys, e eu explicava o mutualismo que existia nos líquens das árvores. Era em clima de chuva que eu gostava de ir pro cursinho, era em clima de chuva que eu corria para pegar o grande circular, que eu levava banho dos carros que passavam na L2, era em clima de chuva que ficávamos encolhidos um do lado do outro tomando coragem para sair dos lugares cobertos.

Por chover pouco em Brasília esses momentos passavam rápido, mas nos momentos de sol também tinham coisas boas…

Foi nos dias de sol que fizeram uma lista para tirar a Carol da sala (que até Dona Florinda assinou), foram nos dias de sol que eu me enrolava para voltar para casa para assistir os meninos jogarem basquete, se não me engano foi num dia de sol que uma menina tentou queimar um porquinho de pelúcia, foi num dia de sol que eu matei a aula de inglês para ficar conversando com o Andy (nem sei se você se lembra desse dia), foram nos dias de sol que ficávamos embaixo do Boloco, depois de comprar porcaria no big box, porque o chão do Boloco era geladinho, foi num dia de sol que os meninos arrumaram briga e achávamos que eles iam morrer, foi num dia de sol que encenamos A Falecida de Nelson Rodrigues e tudo saiu perfeito, foi num dia de sol que criamos as ogras, foi num dia de sol que criamos a segunda versão das ogras e que permanece até hoje, foi num dia de sol que fizemos nosso trabalho perfeito sobre body modification…

Foram tantas coisas pequenas e grandes que aconteceram e que sinto muita falta. Algumas dei muito valor, outras nem tanto, mas permanecem na lembrança. E é um saco saber que o que dizem é verdade, todos vão seguir os próprios caminhos, e inevitavelmente não vão ser os mesmos que os nossos. De lá para cá todos seguiram seu rumo, uns foram embora, outros ficaram, uns melhoraram, outros pioraram, uns continuam na mesma, uns amadureceram, outros emburreceram,… Independente do que aconteceu com cada um saibam que sinto saudade de todos e dos momentos que passamos juntos e juro que se pudesse colocaria cada um em um potinho e trazia pra cá; pois se estivessem comigo tudo ia ser mais fácil e mais gostoso de fazer (obviamente sem querer menosprezar as pessoas queridas daqui). Um abraço, um beijo e um queijo para vocês que eu amo tanto a ponto de nem me importar se vocês me amam de volta.

Um beijo pro Andy que me deu a ideia…